Nossos Artigos

Dicas para que advogados iniciantes tenham sucesso na advocacia e não cometam erros básicos


Dicas para que advogados iniciantes tenham sucesso na advocacia e não cometam erros básicos


O advogado nos primeiros anos após sua formatura está cheio de garra, motivação, entusiasmo e vontade de trabalhar, de ser um profissional de sucesso.

Porém, sem saber e ter esse treinamento durante o curso de direito acaba cometendo alguns erros que podem não apenas desmotivá-lo, mas fazer com que perca nome no mercado de trabalho.

Gostaria muito de dividir com vocês, advogados recém-formados, alguns erros que eu mesma já cometi e que presenciei muitos amigos cometerem, tendo alguns até mesmo desistido da área jurídica.

A partir de agora irei apontar vários erros e sobre aqueles que considero mais assíduos darei alguns exemplos:

1 - Falta de humildade intelectual: Tirar as melhores notas durante o curso de direito não significa necessariamente ser um bom profissional, até mesmo porque para isso a única forma de conquistar clientes é ter experiência e essa só se adquire com o tempo. Para aqueles que entram em uma sociedade, seja como sócio, associado ou trainer fica uma dica: Nunca comece achando que sabe tudo, que não precisa de explicações sobre nada e nunca se sinta entediado quando advogados mais experientes, gastando seu precioso tempo, se dispõem a ensinar algum assunto;

2 - Falta de interesse em estudar: Seja na parte em que o escritório que trabalha atua, seja na parte de economia, mercado empresarial e buscar aumentar a cada dia seus conhecimentos gerais;

3 - Indiscrição: Aquele advogado que fora do ambiente de trabalho passa a comentar, talvez até de forma equivocada, sem precisão alguma, dados dos clientes, do faturamento dos clientes e principalmente da vida pessoal dos sócios e especular se o escritório fatura muito ou não, está lucrando ou dando prejuízo. Isso é um erro fatal na ramo da advocacia;

4 - Falta de lealdade com colegas e superiores;

5 - Esquecer que é um profissional liberal e começar a trabalhar como um empregado comum, chegando e saindo em horários pontuais, mesmo que às vezes fique claro que é necessário ficar mais tempo em determinados dias, mudar o horário do lanche. Advogado não pode viver de forma bitolada;

6 - Ansiedade: Esse é um dos piores defeitos que qualquer pessoa pode ter, mas principalmente tratando-se de advogados que sempre dependem de outras pessoas para que as coisas aconteçam;

7 - Invejar colegas e comparar benefícios: cada um ganha o que merece;

8 - Equipar-se aos sócios ou advogados mais antigos: Isso acontece muito comigo. Já tive inúmeros advogados e estagiários que acompanhavam os dias em que eu deixava de ir trabalhar e na semana seguinte, faltavam também.

9 - Querer atropelar a realidade do mercado: Isso serve para aqueles que mal chegaram em um escritório e logo já querem dobrar seus benefícios;

10 - Ser fantasioso: Achar que sabe mais que todos, que pode de cara ocupar o lugar de um dos sócios ou de um dos advogados mais velhos. A pessoa precisa cair na realidade, pois o tombo é bem alto nesses casos;

11 - Não saber separar a vida pessoal da profissional: São aqueles advogados que acham que o escritório sobrevive com o ar, trazendo problemas de casa para o trabalho, ficando de mau-humor quando tem problemas com a família;

12 - Falta de boas maneiras: Falar com a boca cheia, falar bocejando, bocejar demais, etc.

Postado por: Fernanda Vargas
Data: 28/09/2016